quarta-feira, 31 de outubro de 2018

Quilombo dos palmares? O que foi? Onde ficava? Para que servia?





Quilombo dos palmares foi a maior comunidade formada por negros cativos vindos da África, que fugiam das fazendas e engenhos onde eram escravizados. O quilombo recebeu este nome porque havia um grande número de palmeiras no local.

Este quilombo surgiu no século XVI entre as décadas de 1630 e 1650. Ficava em um lugar chamada de Serra da Barriga, que atualmente pertence ao estado de Alagoas.

A história do Quilombo dos palmares


Durante o período colonial brasileiro (1500-1822) a economia do país era movida basicamente pelas fazendas de cana-de-açúcar. A principal mão de obra destes engenhos eram os negros trazidos do Continente africano.

Estas pessoas vindas da África tinham sua força de trabalho explorada e viviam em um regime de escravidão. Os escravos tinham uma rotina de trabalho muito dura, onde eram obrigados a realizar todo tipo de trabalho braçal extremamente pesado.

Além disso, a condição de vida dos escravos era péssima. Eles não tinham uma alimentação adequada e eram frequentemente agredidos e açoitados pelos capatazes das fazendas onde eram explorados.

Para sair desta situação os escravos fugiam e refugiavam em lugares escondidos na mata. Esses lugares eram fortificados, e com a chegada de mais fugitivos vindos das fazendas, foram se formando comunidades. Estas comunidades receberam o nome de quilombo ou mocambos.

Em uma destas junções de comunidades de negros fugidos, surgiu o Quilombo dos Palmares. Este devido ao seu tamanho e importância histórica é o mais conhecido de todos.

Em Palmares, além de encontrarem liberdade e refugio, os negros podiam viver conforme a sua cultura. O local era um sinal de resistência contra a exploração feita pelos homens brancos, que se consideravam superiores a eles.

Durante a sua existência o quilombo foi diversas vezes atacado por proprietários de escravos e até mesmo pelo governo. Palmares resistiu aos ataques dos invasores por cerca de 40 anos. Até que em 1694 foi destruído. Na ocasião, mais 400 quilombolas morreram no local. 



terça-feira, 30 de outubro de 2018

O que é Socialismo? Onde Foi criado? Quais as principais características?




O socialismo é um sistema político e econômico que se fundamenta no princípio de igualdade. A finalidade do regime é de transformar a sociedade por meio da distribuição de renda e de propriedades, diminuindo assim a desigualdade social.

Desta forma, o sistema socialista prega a extinção da propriedade privada, dos meios de produção e a tomada do poder por parte do proletariado. Além do e controle do Estado e a divisão igualitária da renda.

A ideia do socialismo foi criada no século XVIII na Europa como forma de repensar o capitalismo. Os primeiros pensadores deste regime foram: Saint-Simon (1760-1825), Charles Fourier (1772-1837), Louis Blanc (1811-1882) e Robert Owen (1771-1858), conhecidos como criadores do socialismo utópico.

Já no século XIX, Karl Marx (1818 - 1883) e Friedrich Engels (1820 – 1895) foram os principais teóricos do sistema socialista. Eles são conhecidos como os criadores do socialismo científico, que diferente do utópico, se baseava em uma análise histórica e filosófica da sociedade. 

As principais características do socialismo: 


Coletivização dos meios de produção

Em uma sociedade socialista os meios de produção como terras, máquinas e empresas são propriedade coletiva e administrada pelo Estado. Todas as riquezas produzidas são distribuídas de forma igualitária entre todos os cidadãos ou investidos em benefício da sociedade. 


Extinção de classes sociais

No socialismo não há ricos e pobres, patrões ou empregados. No regime existe apenas a classe social dos trabalhadores, e os recursos são de todos.  


Intervenção do Estado

Para garantir a igualde na sociedade, em um regime socialista todas as intervenções econômicas e sociais que são realizadas pelo Estado de forma permanente. 


Distribuição igualitária de renda

Toda a produção feita pela sociedade e a riqueza deve ser distribuída de forma igualitária entre todos os cidadãos. O Estado é o responsável por controlar e dividir o lucro entre o proletariado.  


Interesse coletivo no lugar do interesse individual 

Conforme o pensamento socialista o interesse coletivo ( sociedade) é mais importante do que o interesse individual das pessoas. 

segunda-feira, 29 de outubro de 2018

O que é Fascismo - Quais as características de um governo fascista?



Fascismo é um movimento político, social e econômico, profundamente nacionalista e antissocialista. Surgiu na Itália no fim da Primeira Guerra Mundial, e foi adotado por outros países europeus no mesmo período, especialmente aqueles que enfrentavam problemas econômicos no pós-guerra, como Alemanha e Holanda. 

O regime foi idealizado por Benito Mussolini (1883-1945), político italiano, que em 1919 fundou o Partido Fascista. Mussolini foi o líder na Itália entre os anos 1922 e 1943, quando foi capturado na Segunda Guerra Mundial pelas tropas aliadas, lideradas por Estados Unidos, Reino Unido e União Soviética.

Características de um governo fascista:


Nacionalismo

Os regimes fascistas valorizam de forma extrema a cultura do próprio país, enquanto desvalorizam a de outros países. O movimente enaltece de forma extrema o sentimento de nacionalismo, e é comum seus líderes utilizaram de forma acentuada os símbolos de um país, como bandeira, lemas e músicas. 

Totalitarismo

No fascismo o governo atua de forma autoritária, geralmente o poder se concentra em um único líder, que exerce o controle absoluto do país, seja no campo político, cultural ou econômico.

Militarismo

Fortalecimento das forças armadas do país, além de investimentos altos na fabricação de armas e aparatos de guerra. A polícia é fortemente militarizada, com autonomia para resolver situações  que geralmente não necessitam da intervenção de militares.  

Censura e controle da mídia

Censurar e controlar os meios de comunicação com o objetivo de manter a integridade do regime. O governo controla a mídia rejeitando ideais contratarias as suas. 

Violência

Em governos onde o sistema fascista está implantando a repressão e a violência são extremamente utilizadas, especialmente contra as minorias da sociedade.

Antissocialismo

Os adeptos do fascismo são radicalmente contra o movimento socialista, defendendo rigorosamente o sistema capitalista. 

Segurança nacional 

Em um regime fascista é comum o governo está sempre preparado para uma possível guerra, pregando a proteção da nação e disseminando um sentimento de insegurança entre a população. 


segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Guerra da Coréia - O que aconteceu?



A Guerra da Coreia foi um confronto armado que aconteceu entre os anos de 1950 e 1953, e envolveu a Coreia do Norte e a Coreia do Sul, países do continente asiático. Foi um das maiores guerras do século XX, matando cerca de 4 milhões de pessoas, em sua grande maioria civis.

Causas da Guerra da Coreia


Até o ano de 1945 a Coreia era território do Japão, com a derrota japonesa na Segunda Guerra Mundial, os Estados Unidos (EUA) e a União Soviética (URSS), as duas grandes potências do mundo naquele momento, concederam autonomia à Península da Coreia.

Em julho de 1945, durante a Conferência de Potsdam, EUA e URSS decidiram que a Coreia seria dividida em duas zonas de influência, sendo o paralelo 38 o marco divisor. Sendo assim, o lado norte foi entregue a influência dos soviéticos, enquanto o sul aos Estados Unidos.

Desta forma, a Coreia ficou divida em duas, República da Coreia (sul), que recebeu influência capitalista dos americanos, e a República Popular Democrática da Coreia (norte), comunista com o apoio da União Soviética.

Outro fator que contribuiu para a guerra foi a invasão da capital da Coreia do Sul, Seul, pelo exército da Coreia do Norte. A invasão ocorreu em 25 de junho de 1950.

Histórico da Guerra


Após as tropas da Coreia do Norte invadiram a capital Seul, as Nações Unidas enviaram tropas a fim de retirar os norte-coreanos da região sul. Estados Unidos e China também entraram na guerra. Enquanto EUA apoiava e Coreia do Sul, a China, também socialista, apoia a Coreia do norte, enviando tropas para a região.

Em julho de 1953 os Estados Unidos ameaçaram utilizar armas nucleares contra Coreia do Norte e China caso elas não se rendessem. No momento, a lado norte já enfraquecido, sofreu várias derrotas para os sul-coreanos, apoiados pelos americanos.

Finalmente, no dia 27 de julho do ano de 1953 a guerra chegou ao final. Na ocasião, foi assinado o tratado da paz que pôs fim ao conflito.

O confronto entre as coreias, com seus respectivos aliados, foi bastante sangrento e deixou milhares de mortos.

Quais são os ossos do corpo humano?

Ao todo o corpo humano é formado por 206 ossos, que são divididos em ossos da cabeça, do pescoço, do ouvido, do tórax, do abdômen, dos membros inferiores e dos membros superiores. Ossos e cartilagens compõe o sistema esquelético humano.

O esqueleto humano tem a função de fornecer sustentação  ao corpo, além de proteger os tecidos mais moles que constroem o corpo humano. Os ossos também são os responsáveis por produzirem células hemácias, e de servirem como importantes depósitos para nutrientes, como ferro e cálcio.

Os ossos mais importantes do corpo humano



Em casa divisão de conjunto de ossos existem aqueles que são os mais importantes para o corpo. Esta importância será determinada pela função do osso, como por exemplo, o maxilar, responsável por sustentar os dentes na boca.

Mostraremos abaixo os ossos mais importantes em cada parte do corpo:

Cabeça
Crânio: frontal, parietal, temporal, occipital, esfenóide, etmóide.
Face: zigomático ou malar, maxilar, nasal, mandíbula, palatino, lacrimal, vômer e concha nasal inferior.
Ouvido: martelo, estribo e bigorna.
Pescoço: Hióide.
Cintura escapular: clavícula e omoplata.
Tórax: externo e costelas.
Coluna vertebral: vértebras cervicais, vértebras lombares, vértebras torácicas.
Braços: úmero, ulna, e rádio.
Mãos: escafoide, semilunar, piramidal, trapézio, e falanges.
Cintura pélvica: ossos do quadril, sacro, e cóccix.
Pernas: fêmur, patela, tíbia, e fíbula.
Pé: calcâneo, tálus, navicular, metatarsais, e falanges.

Como manter a estrutura óssea fortalecida 



Dada a sua relevância para o corpo humano manter os ossos fortes e saudáveis é extremamente importante, e o cálcio é um dos grandes responsáveis por isto. 

O cálcio se caracteriza por ser o mineral utilizado pelo corpo como matéria-prima para a formação dos ossos, é o nutriente fundamental neste processo. Desta forma, para que os ossos se mantenham fortes é necessário que o organismo receba a quantidade de cálcio correta.

Leite e seus derivados, vegetais, principalmente os de folha verde-escura, e peixes como, salmão e sardinha, são fontes riquíssimas de cálcio, é devem estar presente na alimentação dos seres humanos.

Com o passar do tempo e o envelhecimento da estrutura óssea, este cuidado passa a ser ainda mais importante, já que a metabolização do cálcio no organismo começa a ser insuficiente.

Praticar exercícios físicos regularmente também é importante para manter a estrutura óssea fortalecida.